Dicas de saúde

Chegada do verão exige cuidados extras com a saúde

Chegada do verão exige cuidados extras com a saúde

Faltando pouco mais de um mês para o início do verão, é hora de lembrar que, nessa época do ano, a combinação de sol, calor e umidade exige cuidados extras com a saúde. Além das temperaturas elevadas proporcionarem o ambiente ideal para doenças virais, como conjuntivite e as já conhecidas dengue, Chikungunya e zika, é preciso estar alerta também a problemas como insolação, micoses, intoxicação alimentar e desidratação.

Fique atento às principais doenças que costumam aparecer no verão. Cuide-se e aproveite bem a estação!

Dengue, Chikungunya e zika – Cuidado porque a principal época de transmissão dessas doenças é o verão, mas hábitos simples, como evitar água parada, o acúmulo de lixo e manter caixas d´água tampadas, podem interromper a proliferação do mosquito transmissor, o Aedes aegypti. Ao perceber sintomas como febre, dores no corpo, dores de cabeça e náuseas, procure um médico.

Intoxicação alimentar – Um dos principais fatores que causam a intoxicação ou infecção alimentar é o consumo de água ou comida contaminada. Na maioria das vezes, a contaminação ocorre por bactérias como salmonella, shigella, e.coli, staphilococus e clostridium. Os sintomas mais comuns da intoxicação são diarreia, febre, fadiga, náuseas e vômitos. Para evitar o problema, procure comprar os produtos o mais frescos possíveis e fique atento à data de validade e à conservação. Na praia, opte por alimentos práticos e saudáveis, como frutas, e evite aqueles que ficam expostos durante muito tempo ao sol. Quando possível, leve seu lanche em uma sacola térmica.

Insolação e desidratação – Podem ser causadas pela exposição excessiva ao sol e ao tempo quente e trazem sintomas como dores de cabeça, febre, pele vermelha e vômito. Para se proteger, beba ao menos dois litros de água por dia, aplique o protetor solar no mínimo 30 minutos antes de se expor ao sol e reaplique-o a cada duas horas. De acordo com o Conselho Brasileiro de Fotoproteção, emitido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, no Brasil deve-se usar protetores solares com FPS 30, no mínimo. Além disso, lembre-se de usar chapéus, óculos de sol e roupas leves.

Micose e outras doenças de pele – Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, um dos principais causadores de parte das doenças de verão que atingem a pele são os fungos, responsáveis pela maioria das micoses. A região da virilha e entre os dedos são os locais mais atingidos. Já os bebês e as crianças podem sofrer com as brotoejas, causadas pela inflamação e obstrução das glândulas sudoríparas, o que impede que o suor chegue à superfície da pele, ocasionando irritação e coceira. Secar bem o corpo, ficar em ambientes ventilados, usar roupas leves e soltas, de preferência de algodão, e não ficar com roupas molhadas por muito tempo são algumas dicas para evitar problemas na pele.

Conjuntivite – Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, olhos irritados (vermelhos), com sensação de areia ou corpo estranho e fotofobia (desconforto com a luminosidade) podem ser indicações de conjuntivite ou ceratite, uma inflamação da córnea que pode ser causada, entre outros fatores, pela exposição excessiva aos raios solares. Ao se expor ao sol, use bonés, chapéus e óculos escuros com filtro para radiação ultravioleta. Caso você esteja com uma dessas doenças, evite esfregar os olhos, lave as mãos com frequência e enxugue-as com uma toalha de papel ou com uma toalha que não seja compartilhada com outras pessoas. Compressas de água filtrada gelada ou de soro fisiológico sobre as pálpebras podem ajudar quando há desconforto. A Sociedade Brasileira de Oftalmologia alerta ainda que medicamentos (pomadas, colírios) não devem ser usados sem prescrição médica.

 

Localizado no Tucuruvi, zona norte de São Paulo, o Hospital Presidente conta com Pronto Atendimento Adulto e Infantil 24 horas que funciona 24 horas por dia, capaz de ajudá-lo em qualquer necessidade. Para mais informações, ligue para (11) 2261-6611.

Leia também: